Domínio Público


meta poema 3

importa a luz invadindo a sala
iluminando os quadros
queimando o corpo
dourando as frutas apodrecidas

importa redescobrir dentro da manhã:
a brisa
a lua
uma mulher nua

importa raros assuntos
notícias de guerra
a morte banalizada
dos inocentes nas ruas das grandes cidades

o discurso dos vencidos
dos que acreditam
na redenção da humanidade
não alterará a cotação do dólar
ou das ações na bolsa de valores
não influenciará os partidos
os governantes
não diminuirá a fúria assassina dos narcotraficantes
não modificará a história
não salvará a América latina

pelos becos o sangue escorrendo pelo corpo suado
esquivando da troca de tiros
desafiando o inimigo
no meio do bombardeio
sombras confusas
a noite apagada
a fuga
ao volante desgovernado do destino

as crianças da cidade alta
as prostitutas dos bairros baixos
passeiam pela rua da paz no domingo deserto

as lojas fechadas
os ratos sob o céu cinzento da guanabara
restos de paisagem verde
dançam as impressões sobre as telas manchadas.


Escrito por Flávio Machado às 01:07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Meu perfil
BRASIL, Sudeste, CABO FRIO, OGIVA, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese
Histórico
Outros sites
  UOL
  Tábua de marés
  Blocos
  Marcia Maia
  Tanussi Cardoso
  Lau Siqueira
  Manoel Carlos Pinheiro
  Valéria Tarelho
  Álvaro Domingues
  Câmara Brasileira de Jovens Escritores
  Camara brasileira/flaviomachado
  Correio das Artes
  Linaldo Guedes
  Flávio Machado
  Mariza Lourenço
  Márcia do Valle
  Sheila Pavanelli
  Belvedere Bruno
  Graziele
  Beatriz Galvão
  Ana Peluso
  Felipe Cerquize



O que é isto?